Arquivo da tag: Paulo Brabo

O que eles estão falando da Igreja

LIVRO-O-que-eles-estão-falando-da-igrejaEm 03 de dezembro de 2010, o auditório João Calvino, nas dependências da Universidade Presbiteriana Mackenzie, foi palco do lançamento do livro “O que eles estão falando da Igreja” publicado pela Fonte Editorial. O livro  é uma coletânea de artigos acerca da Igreja. Organizado pelo teólogo e pastor presbiteriano Ricardo Quadros Gouvêa, tem como colaboradores em cada capítulo os teólogos Alessandro Rocha, Jorge Pinheiro, Paulo Brabo, Ricardo Gondim e Willian de Melo. Ricardo Quadro Gouvêa assina dois capítulos, dentre eles destaque na visão deste blogueiro, do último capítulo: “Missão Integral: Um Convite à Reflexão”, o texto já havia sido apresentado ao público nas reuniões da Fraternidade Teológica Latino Americana nos encontros do Núcleo São Paulo em fevereiro de 2010 e no Núcleo Campinas em maio deste mesmo ano, ambos podem ser acessados aqui e aqui e agora compõe um dos capítulos do excelente livro. 

Abaixo algumas fotos que realizei no evento.

blogDSC07316

Ricardo Quadros Gouvêa, organizador do livro.

Ricardo Quadros Gouvêa, organizador do livro.

Auditório João Calvino na Universidade Presbiteriana Mackenzie esteve com capacidade máxima de interessados em ouvir os autores do livro.

Auditório João Calvino na Universidade Presbiteriana Mackenzie esteve com capacidade máxima de interessados em ouvir os autores do livro.

Ricardo Gondim, autor de um dos capítulos do livro fala acerca da Igreja.

Ricardo Gondim, autor de um dos capítulos do livro fala acerca da Igreja.

Leia Mais: Missão Integral: Um Convite a Reflexão 

 

Desmitificando Paulo Brabo e sua Bacia das Almas

A Bacia das Almas o livro: lançamento em São Paulo

Brabo não tirou as sandálias

Paulo Brabo se deixou corromper pelo sistema capitalista/calvinista/neoliberal e abriu os braços para os confetes que voaram em sua direção, abandonou o monastério e incorporou a celebridade efêmera deste mundo. A quem diga que desde o primeiro livro lançado esse ano, Brabo já tinha vendido a alma ao enganador. Aliás, cá entre nós, quem em sã consciência realiza o lançamento de dois livros em um espaço menor que quatro meses?

Quem esteve presente pode ver o mocinho virar bandido, o palco desta tragicomédia foi o auditório da livraria Cultura no shopping Market Place na cidade de São Paulo.

Para quem ainda não esta entendendo a gravidade do assunto, Paulo Brabo que vive no monastério de São Brabo nos arredores de Curitiba, transmite seus escritos pelo site Bacia das almas que tem por lema “Onde as idéias não descansam”, bandeira esta que foi traída, pois as ditas idéias agora descansam em paz em um livro de 336 páginas lançado pela editora Mundo Cristão cujo título é A Bacia das Almas. Desrespeitando seus princípios, a ousadia ultrapassou limites, pois Brabo não se absteve em utilizar técnicas de puro marketing e grifa no sub-título do livro: Confissões de um ex-dependente de igreja. Pronto !! Só neste ato impensado, Paulo Brabo perde pelo menos 50% dos poucos leitores simpatizantes que tinha conseguido arregimentar nesses últimos anos em seu site.

A Confirmação disso tudo pode ser constatada na quantidade de público no local do evento. Lotação total da casa. A Conclusão lógica disso é que a derrocada de alguém sempre trouxe ibope, ainda mais no meio cristão. Aliás, sua estrela começou a apagar quando entrou no palco e ignorando o mandamento divino de tirar às sandálias (seguidos pelo profeta Móises) Paulo Brabo em nenhum momento as retirou de seus pés, mostrando falta de respeito para com todos e tudo.

O Público presente era de todas as tribos, passando rapidamente os olhos pela platéia podia se observar a diversidade da galera, indo desde rev. Sandro Baggio do Projeto 242, passando por Alex Dias Ribeiro ex-corredor da Fórmula 1 e indo para os jovens da igreja Presbiteriana Seoul Coreana do Brasil, apenas para citar alguns exemplos.

O evento ocorreu em forma de um debate sobre as idéias de Paulo Brabo, incumbido de mediar o tom das acusações estava Ed René Kivitz representando o clero. Representando a academia estavam Lourenço Stelio Rega, mestre em teologia, diretor da Faculdade Teológica Batista de São Paulo e o professor doutor Jung Mo Sung, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo.

Kivitz não se conteve em apenas mediar o debate e logo no início manda uma direta para o autor; quer saber qual igreja Paulo Brabo se diz ex-dependente? Brabo por sua vez constrói uma resposta que segundo ele é óbvio demais e diz ser todas pertencente a esse sistema religioso que existe hoje, e apelando para o uso de técnicas de argumentação contra-ataca Kivitz perguntando se ele é dependente da igreja? Kivitz responde que não e inverte a pergunta rapidamente, indagando que mal terrível haveria em ser um dependente de igreja?  …… Ávidos leitores a partir deste momento, não poderei continuar narrando o ocorrido por forças contratuais. (ou você acha que apenas o Brabo se vendeu ao sistema capitalista existente hoje?)

Por último vale registrar que o conteúdo do livro não esta todo no site  Bacia das Almas, pois senão seria um tiro no pé dado pela editora junto com o autor. O livro tem um capitulo inédito que o leitor não encontra na internet, com o polêmico título: Os Livros não mudam pessoas. Neste capitulo Brabo diz que: “a nova e irresistível onda é a dos livros que mudam pessoas”. Brabo destrói esse mito, quem comprar saberá os porquês.

Ahh e falando em mito, referindo-se ao título desde post, já estava me esquecendo, a única desmitificação a ser feita em Paulo Brabo esta no nome, pois de brabo ou bravo não tem nada, pessoalmente é amigável e de um coração grande que transborda alegria, próprio dos habitantes do Reino do Deus.

Não gostou da interpretação deste blog? Veja outras versões do mesmo acontecimento nesses outros links.

Versão oficial da editora: reportagem da Mundo Cristão

Versão do presidente do fã clube do Brabo: Volney Faustini

Versão do público participante: JIPS

Versão do panfletário mor da Bacia: Lou Mello

Abaixo segue mais algumas fotos que fiz nesta noite que, segundo me confessou Paulo Brabo, foi surreal. Fotos de todo o evento podem ser conferidas aqui neste link registradas pela lente de Decio Fotografo que fez a última foto deste post onde o autor deste texto no final do encontro se junta ao autor do Bacia das almas para este registro na história.

Kivitz pergunta de qual igreja Paulo Brabo é um ex-dependente?

Público diversificado: galera atenta ao debate

Trio ouve as tentativas de explicação de Brabo

A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna

Enquanto ouve a leitura, Brabo reformula as idéias eternamente em sua mente

"Este encontro foi surreal" Paulo Brabo

No final seguindo o contrato, a fila dos autógrafos

Paulo Brabo não perdeu a oportunidade de sair na foto comigo rss...

Leia +

Paulo Brabo em São Paulo

Paulo Brabo fala ao público presente no lançamento de seu livro "Em 6 passos o que faria Jesus"

Paulo Brabo fala ao público presente no lançamento de seu livro

Por um lapso de Paulo Brabo que ao assinar o contrato com a Editora Garimpo, não leu as letras miúdas no rodapé que informava que ele teria que comparecer a São Paulo para o lançamento e sessão de autógrafos de seu livro “Em 6 passos o que faria Jesus”. Com essas condições contratuais, Paulo Brabo se ausenta de seu monastério localizado (ou seria escondido) nos arredores de Curitiba.

O Evento aconteceu no bairro de Perdizes, na pizzaria Bendita Hora na noite de 28 de setembro em um ambiente acolhedor, poético e alegre, a Data e o evento é histórico, pois se trata do lançamento do livro primogênito impresso de Brabo, que já havia escrito o livro em pedeéfe e disponibilizado na net onde alguns subversivos assumiram o papel de colportores virtuais.

Depois de tanto mistério, quem compareceu ao evento pode comprovar que Paulo Brabo, apesar de morar em um monastério, não é nenhum mago, duende, monge ou sacerdote andando com uma capa e cajado. Mais humano que qualquer um de nós, Brabo recebeu a todos com carinho, conversou com desconhecidos e amigos e conheceu pessoalmente dezenas de amigos e blogueiros que só tinha contato online e agora tiveram o prazer de conhecê-lo pessoalmente, entre essas dezenas de pessoas esta este que vós escreve.

Paulo Brabo não é teólogo ou filósofo no sentido técnico ou acadêmico da palavra, entretanto seus escritos o colocam acima das categorias citadas. Quem lê Paulo Brabo expande a mente, e a mente expandida não volta atrás. Logo, pense duas vezes ao ler seus escritos no Bacia das Almas, o depositário de suas idéias condenadas a reformulação eterna. O livro que não tem capa que pode ser adquirido aqui no site da editora, tem um capítulo exclusivo para sua versão impressa, ou seja você pode ler quase todo o livro aqui online, mas …

Antes de sua palavra para o público presente, o anteciparam na fala Elienai Jr. e Ricardo Gondim escritores e amigos de Paulo que o incentivaram a colocar no papel/livro suas idéias publicadas apenas virtuais na Bacia. Aliás, o incentivo foi tanto que Paulo Brabo se empolgou, pois em novembro a editora Mundo Cristão anuncia o lançamento do segundo livro de Brabo – “Bacia das Almas – Confissões de um ex-dependente de igreja. Será que desta vez ele leu as letras miúdas do contrato?

Abaixo as fotos que tive o prazer de realizar nesse dia em que São Brabo se ausentou do monastério.

Amizades: Paulo Brabo conversa com os escritores Ricardo Gondim e Elienai Jr.

Amizades: Paulo Brabo conversa com os escritores Ricardo Gondim e Elienai Jr.

Brabo autografou exemplares, recebeu e conversou com leitores presentes

Brabo autografou exemplares, recebeu e conversou com leitores presentes

Leia + sobre lançamentos de livros