Arquivo da tag: Jung Mo Sung

Missão Integral – Lançamento de Ricardo Gondim

Ricardo Gondim lança em livro sua dissertação de mestrado: Missão Integral em busca de uma identidade evangélica

No dia 27 de novembro do calendário de 2009, aconteceu o lançamento do livro “Missão Integral – em busca de uma identidade evangélica” (editora Fonte Editorial). A obra segundo me informou seu autor, Ricardo Gondim, é 100% o conteúdo de sua dissertação de mestrado, sem acrescentar ou diminuir um til. O lançamento ocorreu na livraria Saraiva do Morumbi Shopping (mesmo local em que Caio Fabio lançou seu livro Sem Barganhas em dezembro de 2005).

A Obra de Gondim apresenta um processo histórico da chamada Missão Integral, e suas conseqüências para os dias atuais, sua caminhada desde antes do Pacto de Lausanne em 1974, passando pelos teólogos latino-americanos e seus principais nomes da difusão da teologia “pé no chão”. Gondim que participou desta caminhada nas últimas décadas apresenta seu olhar sobre o tema. A Grande tensão do Congresso Mundial de Evangelização de Lausanne (que teve como redator do pacto John Stott) era manejar uma faca de dois gumes, no caso evangelização e ação social. Qual teria que ser a primazia? Para quem quer conhecer a história deste movimento, vale a pena ler o livro. O movimento houve um esvaziamento segundo o autor no início da década de 80. Saiba os motivos que geraram e os debates teológicos e sociais em volta do tema.

O leitor entenderá os motivos porque René Padilha, um dos expoentes do movimento da Missão Integral na América Latina optou por não comparecer ao II Congresso de Evangelização realizado em 1989 em Manila nas Filipinas. Entenderá que as organizações Billy Graham que convocaram e organizaram o Congresso de Lausanne em 1974, que segundo a revista Time foi possivelmente a reunião mais global realizada pelos cristãos por sua amplitude e números e alcance, foram 2.473 “participantes”, cerca de mil observadores de 150 países e 135 denominações protestantes, que foi um Congresso que marcou uma geração, entretanto Gondim denuncia que seu organizador em sua autobiografia publicada originalmente nos Estados unidos em 1997, Billy Graham não cita nem uma vez sequer o Congresso de Lausanne, enquanto gastou vinte e quatro páginas para descrever seu relacionamento com Richard Nixon e seus cafés da manhã na Casa Branca.

No livro o leitor encontrará histórias e opiniões de diversos nomes envolvidos com a Missão Integral na América Latina como René Padilha, Samuel Escobar, Orlando Costas entre outros e ativistas do movimento em solo brasileiro, principalmente nomes da primeira geração pós Lausanne 1974, como Valdir Steuernagel, Robinson Cavalcante, Caio Fabio, Darci Dusileck, Luiz Longuini Neto, Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz, Ziel Machado entre outros.

Além de saber sobre os CLADES – (Congressos Latino-Americanos de Evangelização) e os CBEs (Congressos Brasileiros de Evangelização) CBE I e II, 1983 e 2003 e a FTL (Fraternidade Teológica Latino Americana) e suas importâncias para o movimento na América Latina e as diversas organizações paraeclesiásticas que se engajaram e se comprometeram com a causa de Cristo através da Missão Integral.

Para mim que estou tentando me aprofundar no tema, foi uma sensacional aula de história e opiniões diversas para entender sobre o movimento, aliás, falando em aprofundamento, aguardemos a tese de doutorado de Gondim que promete continuar tratando mais afundo com o tema.

O Livro é dividido em 3 capítulos com diversos sub-temas; Capítulo 1 – Missão Integral e Identidade Evangélica; Capítulo 2 – A Missão Integral, Expectativa e Frustração e por fim o Capítulo 3 – Missão Integral: A difícil tarefa de Equilibrar Evangelização e Responsabilidade Social. A Obra tem 185 páginas e vale a pena ser lida na íntegra, inclusive as mais de 100 notas de rodapé.

Além do lançamento do livro no Morumbi Shopping, Gondim participou de uma manhã de autógrafos de seus livros na rua Conde de Sarzedas no dia 04 de dezembro na livraria Lírio dos Vales onde foi realizada a última foto deste post.

Para finalizar esta matéria, vale ressaltar que o prefácio do livro é escrito pelo orientador de Gondim, o católico Jung Mo Sung, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo.

Livraria Saraiva do Morumbi Shopping foi palco do lançamento da obra

Gondim realiza manhã de autografo na rua Conde de Sarzedas em 4 de dezembro

Fotos e texto: Alex Fajardo

Leia + sobre o assunto:

Leia + sobre lançamentos de outros livros

Desmitificando Paulo Brabo e sua Bacia das Almas

A Bacia das Almas o livro: lançamento em São Paulo

Brabo não tirou as sandálias

Paulo Brabo se deixou corromper pelo sistema capitalista/calvinista/neoliberal e abriu os braços para os confetes que voaram em sua direção, abandonou o monastério e incorporou a celebridade efêmera deste mundo. A quem diga que desde o primeiro livro lançado esse ano, Brabo já tinha vendido a alma ao enganador. Aliás, cá entre nós, quem em sã consciência realiza o lançamento de dois livros em um espaço menor que quatro meses?

Quem esteve presente pode ver o mocinho virar bandido, o palco desta tragicomédia foi o auditório da livraria Cultura no shopping Market Place na cidade de São Paulo.

Para quem ainda não esta entendendo a gravidade do assunto, Paulo Brabo que vive no monastério de São Brabo nos arredores de Curitiba, transmite seus escritos pelo site Bacia das almas que tem por lema “Onde as idéias não descansam”, bandeira esta que foi traída, pois as ditas idéias agora descansam em paz em um livro de 336 páginas lançado pela editora Mundo Cristão cujo título é A Bacia das Almas. Desrespeitando seus princípios, a ousadia ultrapassou limites, pois Brabo não se absteve em utilizar técnicas de puro marketing e grifa no sub-título do livro: Confissões de um ex-dependente de igreja. Pronto !! Só neste ato impensado, Paulo Brabo perde pelo menos 50% dos poucos leitores simpatizantes que tinha conseguido arregimentar nesses últimos anos em seu site.

A Confirmação disso tudo pode ser constatada na quantidade de público no local do evento. Lotação total da casa. A Conclusão lógica disso é que a derrocada de alguém sempre trouxe ibope, ainda mais no meio cristão. Aliás, sua estrela começou a apagar quando entrou no palco e ignorando o mandamento divino de tirar às sandálias (seguidos pelo profeta Móises) Paulo Brabo em nenhum momento as retirou de seus pés, mostrando falta de respeito para com todos e tudo.

O Público presente era de todas as tribos, passando rapidamente os olhos pela platéia podia se observar a diversidade da galera, indo desde rev. Sandro Baggio do Projeto 242, passando por Alex Dias Ribeiro ex-corredor da Fórmula 1 e indo para os jovens da igreja Presbiteriana Seoul Coreana do Brasil, apenas para citar alguns exemplos.

O evento ocorreu em forma de um debate sobre as idéias de Paulo Brabo, incumbido de mediar o tom das acusações estava Ed René Kivitz representando o clero. Representando a academia estavam Lourenço Stelio Rega, mestre em teologia, diretor da Faculdade Teológica Batista de São Paulo e o professor doutor Jung Mo Sung, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo.

Kivitz não se conteve em apenas mediar o debate e logo no início manda uma direta para o autor; quer saber qual igreja Paulo Brabo se diz ex-dependente? Brabo por sua vez constrói uma resposta que segundo ele é óbvio demais e diz ser todas pertencente a esse sistema religioso que existe hoje, e apelando para o uso de técnicas de argumentação contra-ataca Kivitz perguntando se ele é dependente da igreja? Kivitz responde que não e inverte a pergunta rapidamente, indagando que mal terrível haveria em ser um dependente de igreja?  …… Ávidos leitores a partir deste momento, não poderei continuar narrando o ocorrido por forças contratuais. (ou você acha que apenas o Brabo se vendeu ao sistema capitalista existente hoje?)

Por último vale registrar que o conteúdo do livro não esta todo no site  Bacia das Almas, pois senão seria um tiro no pé dado pela editora junto com o autor. O livro tem um capitulo inédito que o leitor não encontra na internet, com o polêmico título: Os Livros não mudam pessoas. Neste capitulo Brabo diz que: “a nova e irresistível onda é a dos livros que mudam pessoas”. Brabo destrói esse mito, quem comprar saberá os porquês.

Ahh e falando em mito, referindo-se ao título desde post, já estava me esquecendo, a única desmitificação a ser feita em Paulo Brabo esta no nome, pois de brabo ou bravo não tem nada, pessoalmente é amigável e de um coração grande que transborda alegria, próprio dos habitantes do Reino do Deus.

Não gostou da interpretação deste blog? Veja outras versões do mesmo acontecimento nesses outros links.

Versão oficial da editora: reportagem da Mundo Cristão

Versão do presidente do fã clube do Brabo: Volney Faustini

Versão do público participante: JIPS

Versão do panfletário mor da Bacia: Lou Mello

Abaixo segue mais algumas fotos que fiz nesta noite que, segundo me confessou Paulo Brabo, foi surreal. Fotos de todo o evento podem ser conferidas aqui neste link registradas pela lente de Decio Fotografo que fez a última foto deste post onde o autor deste texto no final do encontro se junta ao autor do Bacia das almas para este registro na história.

Kivitz pergunta de qual igreja Paulo Brabo é um ex-dependente?

Público diversificado: galera atenta ao debate

Trio ouve as tentativas de explicação de Brabo

A Bacia das Almas é repositório final de ideias condenadas à reformulação eterna

Enquanto ouve a leitura, Brabo reformula as idéias eternamente em sua mente

"Este encontro foi surreal" Paulo Brabo

No final seguindo o contrato, a fila dos autógrafos

Paulo Brabo não perdeu a oportunidade de sair na foto comigo rss...

Leia +

Usina 21 – Oficinas 2009

Dia 07 de novembro aconteceu nas dependências da Universidade Mackenzie a 7º edição do Usina 21. Com cerca de mais de 2 mil jovens segundo a organização do evento, o encontro teve cerca de 40 oficinas no período da manhã e tarde sobre os mais diversos temas, desde blog`s como ferramenta de comunicação e engajamento, artes e expressões de um Deus criativo, voluntariado, missões urbanas etc.  Antes do inicio das oficinas os participantes foram para o auditório Rui Barbosa onde foram recebidos com as boas vindas aos participantes pelo vereador Carlos Alberto Bezerra Júnior, um dos principais idealizadores do evento e atual responsável pelo Usina. Ariovaldo Ramos trouxe uma palavra sobre a redenção do mundo em um diálogo entre a Trindade, “Antes de Deus dizer haja luz, Ele disse haja cruz” disse Ariovaldo em um de seus insights teológicos.

Esta foi à primeira edição que participei do evento e realizei o registro fotográfico da grande maioria dos palestrantes das oficinas e painéis. Segue as fotos com seus respectivos temas na legenda. Creio ser este o post com maior quantidade de fotos que já publiquei aqui neste blog.

Ariovaldo Ramos no auditório Rui Barbosa discorreu sobre a Trindade em um diálogo imaginativo ao estilo do livro A Cabana

Junto com Ariovaldo Ramos, o vereador Carlos Alberto ora pelo evento e pelos organizadores Fabricio Cunha e Fernando Diniz

Auditório Rui Barbosa no Mackenzie lotado de jovens: Nova geração Missão Integral

Ziel Machado, historiador e membro da ABU por 18 anos em seu painel afirmou: "Missão Integral não é uma ideologia de esquerda evangélica, missão integral é um projeto de vida!"

Vereador e médico Carlos Alberto relatou casos e conscientizou todos contra o abuso e violência infanto-juvenil dentro das igrejas

Doutoranda na Universidade Metodista, Analzira Nascimento relatou sua experiência na África por 17 anos, responsável pela implantação e coordenação do Projeto Radical - Voluntários Sem Fronteiras

Doutorando na PUC Gedeon Alencar, analisou o fenômeno religioso brasileiro sobre o tema: "40 milhões de evangélicos no Brasil ! E daí ?"

O Católico Jung Mo Sung, coordenador do programa de Pós-graduação em Ciências da Religião na Universidade Metodista falou sobre acabar com a fome e a miséria no mundo em uma perspetciva cristã

Anderson Gu, professor universitário palestrou sobre superando as deficiências da não inclusão. Como oferecer opções de acessibilidade às pessoas com deficiência nos espaços comunitários

Jota Mossad da Vineyard de São Paulo falou sobre grafiteiros, arteiros e produção alternativa

Alexandre Hobles: Espitirualidade do jovem no meio do caos urbano, trânsito, violência e stress

Compositor Daniel Maia explanou sobre o tema: música de Deus x música do mundo. Isso existe? Qual a diferença?

Músico e cantor Roberto Diamanso falou sobre a universalidade da canção

Jornalista e blogueiro Sérgio Pavarini tratou do tema: Blog, uma ferramenta de comunicação e engajamento

Osmar Guerra, produtor da Rede Record levou ao evento para palestrarem, Warley Santana ex-CQC e Carol Zócolli - finalista do concurso "Oitavo CQC"

João Batista da Missão CENA explanou o tema de missões em áreas de miséria urbana - como combater a desigualdade e desenvolver projetos consistentes

Gustavo da Hora da ABU focou a Internet o ambiente virtual e o fenômeno das redes sociais

Pr. Levi Araújo contou tudo !! Sua tragetória polêmicas, embate e humanidade.

o Evento teve mais de 40 oficinas com grande participação dos jovens

Henrique Courá do ICEC trabalhou o tema: Luzes, câmera e transformação: da idéia na cabeça à mobilização pelo cinema

Sara de Roure tratou a questão de Gênero - Mulher e seu papel fundamental - Reflexão a respeito da consciência de indivíduo e a equiparação de condições para os gêneros

Marcos Vinicius - Palhaços e Clwns como ferramenta de evangelização

Oficinas sobre diversos assuntos co-relacionados ao Reino de Deus e Missão integral em várias frentes de ação para a Igreja se posicionar

Fotografo na foto: Fim do Usina 2009, eu e minha amada imortal, cansados mas alegres com o que aprendemos nas oficinas

Congresso Cristão Universitário 2009 – Campinas

O Católico prof. Dr. Jung Mo Sung palestra para os jovens universitário no púlpito da 1º Igreja Presbiteriana Independente de Campinas

O Católico professor Dr. Jung Mo Sung palestra para os jovens universitário no púlpito da 1º Igreja Presbiteriana Independente de Campinas, seu tema: A Missão que nos une

Dia 12 de setembro, aconteceu na cidade de Campinas o Convergência 2009 –  Congresso Cristão Universitário, evento realizado pelo grupo Cristãos Unicamp – o foco do trabalho era a juventude universitária do estado de São Paulo. O Encontro que durou o dia inteiro, das 08 da manhã até as 18:00hs foi realizado na Primeira Igreja Presbiteriana Independente de Campinas.

Além das partes musicais, o ponto alto dos encontros foram as palestras, pela manhã, Ricardo Agreste teólogo, filósofo e professor do Seminário Presbiteriano do Sul, atualmente pastor responsável pela Comunidade Chácara Primavera em Campinas, ligada a IPB. Ricardo falou aos jovens sobre o tema: Unidade na diversidade, sendo que no final da palestra houve 15 minutos de perguntas realizadas pelos jovens e respondidas por Agreste.

No intervalo, depois do almoço, houve as 14:30, diversas oficinas com temas diversos. Este que vos escreve participou da oficina com o tema: Palavras de vida, literatura, missão: o hábito de leitura e escrita na proclamação do Reino. Cerca de 20 pessoas participaram desta oficina que era mediado pela estudante de Ciências Sociais Fabiana Pereira. Diversas pessoas compartilharam suas experiências com a leitura em relação a transformação de vidas e proclamação do evangelho.

No período da tarde, as 16:00hs houve a última palestra realizada pelo prof. Dr. Jung Mo Sung que apresentou pela primeira vez novos estudos que esta realizando. Seu tema foi: A Missão que nos une. Jung que pertence a Igreja Católica, e que ultimamente palestra para diversos grupos protestantes e também é atual coordenador do programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo. No final da palestra também respondeu a perguntas elaboradas pelos jovens universitários.

Segue as fotos que realizei no encontro, onde tive o prazer de conhecer o seminarista Tiago Nogueira da IPI, nos conhecíamos apenas por blog e twitter, e agora houve a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente.

Ricardo Agreste palestrou sobre o tema: Unidade na diversidade

Ricardo Agreste palestrou sobre o tema: Unidade na diversidade

Jovens universitários de diversas cidades estiveram presentes no encontro

Jovens universitários de diversas cidades do estado estiveram presentes no encontro

Leia +

Aluno Ricardo Gondim aprovado

Gondim realizando sua defesa da dissertação de mestrado

Gondim realizando sua defesa da dissertação de mestrado

Paulo Freire afirmou que: “Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Por isso aprendemos sempre”. Nesse espírito de busca de conhecimento, depois de dois anos de estudos no programa de pós-graduação em Ciências da Religião na Universidade Metodista em São Bernardo do Campo, Ricardo Gondim realiza a defesa de sua dissertação de mestrado. A Defesa ocorreu no auditório do edifício Capa no campus da universidave. O Curso de Ciências da Religião da Metodista esta avaliado entre os melhores cursos da área pela Capes, inclusive aprovando o curso na categoria de excelência internacional acadêmica.

A temática trabalhada por Gondim foi: A Teologia da missão integral: Aproximações e impedimentos entre evangélicos e evangelicais. Durante duas horas amigos e simpatizantes que compareceram ao evento assistiram a defesa e as argüições realizadas pelos membros da banca examinadora que foi composta pelos doutores Ricardo Quadros Gouveia (Mackenzie) e Lauri Emilio Wirth (Metodista). Dirigindo a banca examinadora estava o coordenador do curso na Metodista, prof. Dr. Jung Mo Sung.

Ricardo Gondim foi aprovado com louvor pela banca examinadora. Ao final houve uma recepção e comemoração com os presentes. Segue algumas fotos que realizei nesse importante passo na carreira acadêmica de Gondim.

Tema do mestrado: A Teologia da missão integral: Aproximações e impedimentos entre evangélicos e evangelicais

Tema do mestrado: A Teologia da missão integral: Aproximações e impedimentos entre evangélicos e evangelicais

Atento a arguição e anotações de  Gouvêa

Gondim atento a arguição e impressões de Ricardo Gouvêa

Assinando a conclusão final: aprovado com louvor

Assinando a conclusão final: aprovado com louvor

Comemoração: Alegria é a luz que preenche com esperança, fé e amor

Comemoração: Alegria é a luz que preenche a vida com esperança, fé e amor

Leia + sobre Gondim

Debate na IBAB

ibab1
Ed René Kivitz iniciando o evento com uma oração. Na mesa
Jung Mo Sung, Sérgio Pavarini e Ricardo Gondim

Ocorreu nessa última quinta-feira o lançamento do livro “Se Deus existe, porque há pobreza” escrito pelo católico Jung Mo Sung, doutor em ciências da religião e professor de pós-graduação do mesmo curso na Universidade Metodista de São Paulo. O evento aconteceu na IBAB – Igreja Batista da Água Branca, um debate mediado pelo blogueiro e jornalista Sérgio Pavarini, ocorreu para refletir sobre o tema do livro, na mesa, além do escritor do livro estava Ed René Kivitz e Ricardo Gondim. Cerca de 600 pessoas ouviram as reflexões sobre o tema e suas variantes teológicas.  Quem esteve presente também pode aproveitar e participar da campanha de Natal Presente que serve, realizado pela igreja para auxiliar e apoiar cerca de 30 Ong’s e projetos sociais.

 

jung-mo-sung

Jung Mo Sung argumentando: amor de Deus combina com liberdade 

 

Leia +

CoNviTe

Convite para você, dia 27 de novembro (quinta-feira) na IBAB – Igreja Batista da Água Branca, lançamento do livro do prof. Jung Mo Sung. Na mesa discutindo o assunto estará Ed René Kivitz, Ricardo Gondim, Ariovaldo Ramos e o próprio Jung; a mediação do bate-papo será realizada pelo blogueiro Sérgio Pavarini.

 

_pobreza