Arquivo da tag: Ibab Jovem

Hábitos que transformam

Este artigo publicado na revista Ultimato em sua edição de nov/dez de 2009,  escrito pelo rev. Ricardo Barbosa, da Igreja Presbiteriana do Planalto em Brasília, foi o tema do acampamento de carnaval 2010 da IBAB Jovem. Ricardo Barbosa (foto) também esteve palestrando no acampamento. Segue o artigo.

Ricardo Barbosa prega sobre os Hábitos que Transformam, tema do acampamento baseado em seu artigo. Ao fundo logotipo do acampamento criado por Thiago Leon Marti com total referência visual a temática

Em 1989, o reverendo John Stott veio ao Brasil para falar num dos congressos da VINDE — Visão Nacional de Evangelização. Depois de uma de suas palestras, nos reunimos para conversar com ele. Era um grupo pequeno de jovens pastores, sentados em torno de um dos maiores expositores bíblicos da nossa geração, perto de completar 70 anos. A conversa seguiu animada. Ele nos deu liberdade para perguntas pessoais e, entre outras, não faltaram aquelas sobre o porquê de não se casar.

Porém, de todas, guardei apenas a resposta que ele deu quando lhe perguntaram sobre a razão do seu longo ministério tão frutífero. Ele respondeu: “Leio a Bíblia e oro todos os dias, vou à igreja todos os domingos e nunca falto à celebração da Eucaristia”. A resposta foi surpreendente por sua simplicidade.

Sabemos que ler a Bíblia e orar todos os dias, ir aos cultos e participar da Ceia nunca foram, por si só, sinais confiáveis de espiritualidade, muito menos um caminho seguro para a maturidade. Muitas pessoas fazem isso por puro legalismo. Por outro lado, sabemos também que não fazer nada disso é um caminho seguro e certo para o fracasso espiritual.

O doutor James Houston, criticando o abandono da leitura devocional em nossos dias por uma literatura funcional e pragmática, afirma: “Os hábitos de leitura do chiqueiro não podem satisfazer a um filho e aos porcos ao mesmo tempo”. Ao usar a imagem da Parábola do Filho Pródigo, ele nos chama a atenção para o risco de nos acostumarmos com a vida do chiqueiro. Para Houston, as práticas devocionais nos ajudam a perceber que existe algo maior e mais excelente na vida de comunhão com o Pai.

O reverendo A. W. Tozer (1897-1963) escreveu um artigo afirmando que “Deus fala com o homem que mostra interesse”, e que “Deus nada tem a dizer ao indivíduo frívolo”. Mais do que cultivar o hábito de ler a Bíblia, orar e participar do culto, o que na verdade fazemos quando cultivamos estas práticas devocionais é demonstrar o interesse vivo que temos por Deus e por sua Palavra.

Da mesma forma como a vida necessita do básico (ter o suficiente para comer e vestir, onde descansar), a natureza da vida espiritual repousa sobre o que é essencial (Bíblia, oração, comunhão, adoração e missão). São esses hábitos básicos que nos colocam no lugar onde podemos experimentar a graça de Deus e crescer.

Há hoje muita oferta para a vida e para a espiritualidade. A sedução do supérfluo despreza o essencial. Vivemos o grande perigo de negar o básico, achando que podemos experimentar a graça de Deus e provar sua bondade e amor sem nos aquietar e deixar que sua Palavra molde nosso caráter, que a oração fortaleça nosso espírito e que a comunhão nos sustente em nossa identidade como povo de Deus.

As disciplinas espirituais básicas cultivadas pelo reverendo Stott ao longo de sua vida formaram seu caráter como cristão. Nada pode substituir a prática diária da oração nem a leitura devocional das Escrituras. Nada substitui o valor do culto comunitário nem o mistério da Eucaristia. O cultivo destas disciplinas requer de nós não apenas tempo e perseverança, mas também humildade e coragem para sermos transformados pelo poder de Deus.

Deus não nos chamou para a realização pessoal, mas para a comunhão pessoal e íntima com ele e o próximo. Deus não nos chamou para sermos operários agitados do seu reino, mas para amá-lo e amar ao próximo de todo o coração. Os hábitos devocionais libertam-nos da “normalidade” do chiqueiro e nos transportam para uma existência de comunhão com Deus que enobrece a vida. São estes hábitos que preservam nossos olhos voltados para o alto, para que, aqui na terra, nossa existência ganhe a grandeza dos ideais divinos.

As práticas devocionais fazem parte do processo formativo da alma diante de Deus. Precisamos cultivá-las a fim de permanecermos em sintonia com o reino de Deus, que molda o nosso caráter em Cristo. É a palavra de Deus que devolve a vida aos “ossos secos” da agitação moderna.


Por falta de utopia, o jovem se corrompe

Ambiente do evento personalizado sobre o tema

Ambiente do evento personalizado sobre o tema

Em setembro aconteceu uma série de encontros na IBAB organizado pela equipe de jovens cujo a temática foi utopia. O Encontro ocorreu aos nas noites de sábado.  Onde respectivamente falaram Fabricio Cunha, Ziel Machado e Ariovaldo Ramos.  Diferente da religião, a utopia cristã esta no horizonte, cada vez mais que eu me aproximo dela, mais ela se afasta de mim.  Por mais que eu caminhe, eu nunca alcançarei, entretanto ela é meu norte, o meu caminhar.

Todas as mensagens foram transmitidas ao vivo via internet e podem ser assistidas neste link aqui.  Fotos do primeiro dia do encontro podem ser conferidas aqui.

"Utopia é algo comunitariamente bom para todo mundo " Fabricio Cunha

"Utopia é algo comunitariamente bom para todo mundo " Fabricio Cunha

Fabricio Cunha falou sobre a utopia cristã, o cristianismo como superação da religião. Iniciou sua fala explicando sociologicamente o conceito de utopia, ideologia e religião. Trabalhou alguns conceitos no quesito da solidariedade, para entendermos em que nível estamos no relacionamento com nosso próximo, citou o teólogo Ronald Sider “temos que Viver de forma simples, para que alguns simplesmente vivam”.  Afirmou a diferenciação de reputação e de caráter no Reino de Deus, pois reputação é aquilo que as pessoas pensam acerca de você, e caráter é o que você realmente é , por isso Jesus enfatizar sobre o quarto secreto, você e Deus, pois ali esta o apenas seu caráter diante de Deus, e é este caráter iluminado por Deus que tem que prevalecer para a expansão utópica do cristianismo.

Ziel Machado falou sobre uma geração relevante ser possível e expos sobre a fala de Jesus em  João 15 a videira verdadeira e nossa permanência no amor de Cristo, pois sem essa base, não é possível se ter uma geração relevante.

Ariovaldo Ramos trabalhou no tema que um mundo melhor é possível e para isso explanou seu conceito sobre a Ética da manutenção.  Trabalhou sobre as questões de nossa fé para entendermos se um mundo melhor é possível ou não.

Ziel Machado falou sobre uma geração relevante ser possível ou não.

Ziel Machado falou sobre uma geração relevante ser possível ou não.

Ariovaldo Ramos explanou seu conceito sobre a Ética da manutenção

Ariovaldo Ramos explanou seu conceito sobre a Ética da manutenção para um mundo melhor possível

Utopia Cristã:

Cada pessoa mais parecida com Cristo

Cada relação mais parecida com a trindade

Cada sociedade mais parecida com o Reino de Deus

Igreja: Projeto

O Estado supera as contradições” Hegel

“O Estado é palco das contradições” Marx

“A Utopia cristã supera as contradições, mas a igreja é o palco de todas elas.” Fabrício Cunha

Tema de cada dia na parede

Tema de cada dia na parede

Leia +

Solidariedade no Morro do Borel

Em Julho a equipe de Jovens da IBAB como todo ano, subiu ao Morro do Borel / RJ para levar solidariedade, alegria e auxiliar para as pessoas do Morro. Foram 5 dias de muito trabalho onde encontraram Cristo e por Ele foram encontrados na face dos moradores do Borel. Este ano houve a parceria da Jocum Borel. Segue algumas fotos e também o escrito de Fabrício Cunha, pastor dos jovens, sobre um depoimento de uma integrante, que entendeu de fato a missão do Reino de Deus na face da terra.

A Diaconia consiste na doação de si em serviço do outro, esvaziando a si mesmo, para ocorrer a identificação com o outro

A Diaconia consiste na doação de si em serviço do outro, esvaziando a si mesmo, para ocorrer a identificação com o outro, de modo humilde, servindo e sendo servido pelo outro, levando Cristo e encontrando Cristo nas faces e carências das pessoas do Borel, sinalizando o Reino de Deus.

No mês de julho, um grupo de nossos jovens esteve no Morro do Borel desenvolvendo um projeto em parceria com a Jocum. Como parte do treinamento, pedi que cada um escrevesse quais eram os fatores de motivação para participarem. O texto abaixo é um dos que recebi:

“A vocação cristã é relacional, diaconal, de mutualidade e de amor, então, meus motivos para colocar o ‘pé no morro’ estão fundamentados nessa vocação. Minha oração é que Deus faça de mim uma serva e que isso seja evidente em todas as áreas da minha vida.

A diaconia consiste na doação de si em serviço do outro, esvaziando a si mesmo, para ocorrer a identificação com o outro, de modo humilde, servindo e sendo servido pelo outro, levando Cristo e encontrando Cristo nas faces e carências das pessoas do Borel, sinalizando o Reino de Deus, levando a mensagem da cruz encarnada em nós, com uma visão que vai além da grande comissão, de acordo com os preceitos da missão integral. Desse modo, penso que serei transformada e edificada durante as experiências que terei lá.

Acredito que, quanto mais engajada eu estiver em projetos de missão da Ibab, mais simples será o desdobrar da construção de atmosferas de serviço e cooperação na minha vida integralmente, porque tais projetos possuem metodologia comunitária, planejamentos e treinamentos, enquanto, de certa forma, no cotidiano os comportamentos são mais automáticos e, portanto, sem a intensa reflexão prévia, característica dos projetos missionários ‘ibabianos’.

Minha vocação na Psicologia está atrelada à minha inclinação referente ao Borel, já que é uma ciência com intentos humanizadores, voltados à restauração social, promoção de justiça, garantia dos direitos humanos e do bem-estar biopsicossocial e espiritual, enfim, uma ciência demasiadamente cristã. Inclusive, o apresentado no púlpito conflui com o conteúdo de diversas aulas.

Quão precioso é ter a identidade embasada na filiação do Deus que ama e ter um relacionamento verdadeiro com o Abba. Considerando que todos são partícipes da família de Deus, contudo muitos não têm consciência da sua filiação. Cooperar com a missão de Deus abrange ser instrumento do Espírito Santo para viabilizar essa conscientização.”

Patrícia Martins (Paty)

Fiquei felizmente surpreso com a densidade de conteúdo do que a Paty escreveu. Não porque não esperasse isso de algum dos jovens, absolutamente, mas porque, mesmo sendo tão jovem, ela conseguiu construir algo a que todos podemos subscrever. É a parte fundamental do que acreditamos sobre vocação, missão e salvação. É a síntese do que queremos ser enquanto pessoas e comunidade. Se posso destacar um parágrafo, destaco o último e o recomendo como desafio a todos nós, o de “cooperarmos com a missão de Deus, que abrange sermos instrumentos do Espírito Santo para viabilizarmos a conscientização de que todos somos filhos do Abba”.  Fabricio Cunha

Diversos trabalhos de voluntariado foram realizados

Voluntariado: Diversos trabalhos no morro do Borel

Cinco dias no morro do Borel: sinalizando o Reino de Deus

Cinco dias no morro do Borel: sinalizando o Reino de Deus

Semana Jovem IBAB 2009 – 1º dia

gerson borges

Ontem 14 de julho, aconteceu na IBAB o início da Semana Jovem 2009. Cerca de 400 jovens (cálculos realizados pelo IAEA – Instituto Alex de Estatística Aplicada. Baseado na técnica de Arquimedes de calcular o número de fileiras de bancos ocupados e multiplicar pelo número de pessoas em casa fileira, somando isso a raiz quadrado dos que estavam em pé .. enfim, acho que se eu vivesse na época de Davi, poderia ajudar ele a realizar o censo do povo, mas é lógico que as conseqüências nefastas do tal cálculo eu deixaria para ele se virar com Deus né) 

Enfim, voltando ao assunto aqui do post, ontem toda essa galera esteve para louvar a Deus junto com Gerson Borges, em um ambiente de jogo de luzes e clima intimista e convidativo, Gerson cantou clássicos da Música Popular Evangélica e apresentou algumas novas músicas de seu repertório.

O tema deste ano da Semana Jovem é: “Você tem sede de que? Você tem Fome de quê?” Ed René Kivitz inaugurou a série de pregações sobre o assunto, falando sobre sexualidade, com o assunto: “a gente não quer só comer, a gente quer comer e quer fazer amor” Em 53 minutos de mensagem, comparou o sexo a nitroglicerina pura dizendo que se vc não mexer com cuidado, ele explode na sua cara. Ed finalizou com a frase “O amor é o berço do melhor sexo, o sexo pelo sexo é o tumulo do melhor amor”. Creio que futuramente, igual no ano passado, as mensagens da Semana Jovem serão incluídas no site da IBAB e recomendo a todos ouvir a mensagem completa, para não ouvir algo fora do contexto geral para utilizar como pretexto.

Bom, segue neste post além das fotos que realizei, um vídeo do Gerson Borges interpretando um clássico do Josué Rodrigues, Salmo 45.

ed rené kivitz

Ed René Kivitz falou sobre o tema sexualidade

Borges

Após o fim da mensagem, Gerson Borges cantou seu sucesso: É de coração

Abaixo no vídeo,  música de  Josué Rodrigues: Salmo 45

Leia +