Papo na Rede – Juventude Urbana

Quais são as demandas da juventude cristã em um contexto urbano? Podemos dizer que este foi o tema do Papo na rede que aconteceu no dia 25 de novembro de 2010, programa apresentado por Fernando Lemos no interessante site de vídeos Koinoniaonline.net

A entrevista durou 41 minutos, e assuntos diversos assuntos foram tratados sobre o contexto e as formas de uma pastoral urbana com a juventude. O Entrevistado foi Fabricio Cunha, pastor de jovens da IBAB. Como aplicar os valores do evangelho em uma sociedade jovem que é privada, egoísta e consumista? “Gastam tempo, energia e dinheiro demais ensinando as pessoas a serem crentes, mas o desafio é ensinar o jovem a ser gente. Ser humano como Jesus foi”. afirmou o entrevistado.  Os temas do bate papo variaram desde música não cristã dentro da igreja, até homossexualidade. Qual é o espaço do homossexual na igreja e seu envolvimento no exercício ministerial?

Acompanhe a entrevista completa no vídeo abaixo.

Anúncios

7 comentários

  1. Gastam tempo e dinheiro ensinando o jovem a ser crente e perdem a batalha no desafio de ensinar o jovem a ser GENTE.
    Ser crente não sendo gente é discurso é otopia!
    O jovem atual é reflexo de uma sociedade pervessa, mal educada e consumista sim, seja ele da classe ‘ A ou E ‘ ou da mais tradicional Igreja do bairro.
    A questão gira no em torno da EDUCAÇÃO na foma literal da palavra.
    Nossos jovens estão mal educados, ociosos e degenerados, e as lideranças evangélicas pouco fazem para resolver essa questão, seja por omissão ou falta de condição e preparo para liderar.
    Espaço para o homossexual na IGREJA? Isso é uma piada !
    A Pecha moral de jovens desestruturados emocionalmete não pode ser passaporte para a licenciosidade maldita na Igreja. Discutir a questão do homossexualismo pela ótica do direito constitucional é responsabilidade de Juristas de plantão, porque a responsabilidade da Igreja é pregar o Evangelho de transformação e restauração do caráter do homem.
    O Evangelho de Cristo não pode pactuar com o defeito moral de seres humanos amantes do pecado.
    Falta gente de pulso firme e amor no coração para ensinar o Evangelho de transformação nas IGREJAS.

    • Realmente, como o Ricardo Rizzo afirmou, o que devemos é pregar o evangelho da transformação, quando a Bíblia se refere ao texto “Quero trazer a memória o que me dá esperança.” (Lamentações 3:21), não é simplesmente lembrar dos tempos bons da vida, mas sim carregar os mandamentos e o evangelho de Cristo na mente e no coração, ser radical e ousado para semear as sementes de uma vida em santidade.

  2. Ainda bem que Jesus veio pra quem os religiosos fundamentalistas rejeitam! Ainda bem que ele veio pra mim, que preciso desesperadamente dele, justamente, por minhas inadequações!
    Ainda bem que Deus veio… como Jesus! Inadequeado para padrões que se julgavam absolutos!
    Ainda bem que Ele é um Deus que é amor! Um Deus-amor que ama sem esperar contrapartida!
    Ainda bem…
    Thaty, seu vídeo disse tudo!
    Fabrício, obrigada porque vc tb veio! 🙂

    • Meu grande Miúdo,
      Ser chato é sinônimo de persistência, e nem sempre os chatos desagradam.
      Na Escola primária da minha época, rótulos e preconceitos predominavam fortemente, e pelo visto ainda hoje…
      Pior que um chato é quem fica sobre o muro: ” não pende nem para direita nem para esquerda, não sabe o que quer nem para onde vai ” …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s