Pedagogia da Graça

Um amigo meu que freqüentou uma igreja histórica sesquicentenária por muitos anos de sua vida, presenciou atitudes austeras de pastores e presbíteros em reuniões onde sentenciavam jovens que engravidavam antes do casamento. Presbíteros do conselho já nem mais consultavam o manual de disciplina, pois decoradamente sabiam o artigo e parágrafo onde a ré se enquadrava. A punição era anunciada com certa alegria (em forma de piedade pervertida) para a igreja, pois a sã doutrina estava sendo cumprida a risca. Mais uma medalha era colocada no peito da ortodoxia, que seguia única vencedora nesta igreja. A adolescente arcava com os danos psicológicos de ser apontada na igreja como exemplo a não ser seguido, pois quebrara os mandamentos do sagrado e sua punição era além da suspensão dos “privilégios da ceia” era isolada por todos, como uma pessoa contagiosa, o patinho feio que poderia transmitir seus pecados para o restante do puro rebanho.

Este meu amigo acabou saindo desta denominação e esta agora em outra, com o nome idêntico, entretanto sobre tutela de outro Supremo Concílio. Entretanto um caso de gravidez de uma menina de 16 anos aconteceu nesta igreja dele. Apenas a mãe e a filha adolescente freqüentavam a igreja, e ambas foram conversar com o pastor, para contar o ocorrido. Qual o resultado? No culto dominical, o pastor chama a menina na frente e diz que tem algo muito importante a comunicar, que a adolescente esta grávida e que toda a igreja esta em festa e deve comemorar esta alegria com a garota. Foi feita uma oração para que a gravidez ocorra tudo bem e que todos deveriam se festejar com a menina, pois em breve um bebê estaria alegrando todos os membros presentes. O pastor abraçou a menina carinhosamente e disse que a igreja estaria dando todo apoio no que fosse preciso durante e depois da gravidez.

Alguns chamariam este fato de ortodoxia generosa, outros de apostasia e afrouxamento da doutrina. Gosto de chamar de simplesmente graça, na hora que a menina precisava de maior acolhimento, ela recebeu de Deus através do pastor e da igreja. Este, creio eu ser o verdadeiro caminho estreito a ser seguido, em detrimento do caminho largo e dogmático. A comunidade tem que ser inclusiva e não um gueto que exclui os que não seguem seus dogmas, regras e manuais.

Com essa atitude, uma voz do norte poderia questionar que esta se abrindo a porta para a libertinagem, pelo contrário, a pedagogia da graça corre por outros caminhos, pois isso tem feito que os jovens e adolescentes tragam suas dúvidas e questionamentos para a igreja, ou seja uma comunidade terapêutica esta sendo formada, sem querer forçar a natureza com medidas de imposição, a atitude educativa esta produzindo seus frutos. Ahh .. antes de finalizar esse texto, antes que alguém pergunte, é o pai da criança? Até onde estou sabendo, não está envolvido na igreja e nem na vida da adolescente,  o pastor disse que não precisa casar se não amar a pessoa. Como fiz Philip Yancey, a graça é como a água límpida, consegue descer aos locais menos acessíveis e leva vida, e vida em abundância.

By Alex Fajardo

Anúncios

32 Respostas para “Pedagogia da Graça

  1. maravilhoso isso alex, mas tenho q confessar: acho q ainda não consigo digerir por completo essa forma de lidar com a situação q me parece banalizar o acontecimento em si, o suposto “mole” que ela deu… será q não é uma abertura pra graça barata tão combatida por bonhoeffer?

    lá no meu porão tem um fundamentalista gritando qurendo sair ehhehe (#vergonhalheia)

  2. Todos temos um fundamentalista interno, William… Mas só entende o que é graça, quem responde a ela… e só respondemos quando recebemos o que não merecíamos… senão, deixa de ser graça, não é?

    As consequências do ato, talvez impensado, virão no dia-a-dia… afinal, cuidar de uma criança dá trabalho.

    Mas é uma vida… e tudo que é vida deve ser celebrado… Afinal, vida só quem dá é DEUS, que é capaz de trabalhar para nosso bem e para sua glória, mesmo em meio às nossas burradas e pecados…

  3. Eu choro diante da graça. Ela só me dá bons sustos! rs

  4. Essas igrejas – que se julgam os pilares teólogicos – são péssimas nessa questão mesmo! O Manual presbiteriano vem acima da bíblia. Isso pq eles dizem que é baseado nela, (só se a fizeram fumando um baseadinho mesmo).
    O mais hilário é que na maioria das vezes boa parte daquele conselho é formado por pessoas que fizeram (e fazem) coisas horrendas, tem filhos que fazem coisas parecidas e ainda sim, com aquela cara de piedade, dizem estar fazendo o bem a pequena jovem.

    O resultado é semelhante a trote de faculdade:

    Quando eu crescer e fazer parte desse conselho vou fazer igual fizeram comigo: Vou cortar o cabelo de todos os calouros.

    E assim vai se perpetuando a burrice pedagógica, social, pastoral …..

    Pois é!

    Fábio Fino

  5. Alex, seu texto me foi mais refrescante que água de coco geladinha em verão na praia. Devo confessar, porém, que não foi frescor imediato. Por quase um minuto, eu também duvidei da legitimidade da postura do pastor. Mas logo, logo pensei no que você também argumentou em um cometário, o fato de que a consequência será sentida no dia-a-dia e não é papel da igreja tornar o fardo da jovem mãe ainda mais pesado. Por fim, coloquei-me no lugar dela e de sua mãe, e, deste modo, senti um imenso amor de Deus por elas e por esta vida que se forma no ventre da menina assustada. Obrigada por compartilhar conosco esta história de apoio, amor e aceitaçao na igreja. Isso nos dá esperança…

  6. q bosta, agorafiquei esteriotipado com o famoso”comentarista chato gospel” do blog hehehe

    • Relaxa William, todo mundo de primeira fica um pouco chocado com a história e atitude. Até eu fiquei refletindo depois que ouvi o fato.

  7. Calma, William…tb não é assim! rsrsrsrs

  8. Relaxa William é só jogar o livro de cabeceira “As -centúrias- de Calvino” no lixo.
    rs..rs

    Aliás, fico impressionado como o Fajardo gosta de usar expressões ininteligíveis tais como: sesquicentenária (porra fala logo que é a IPB).

    Aliás no meio religioso só meia dúzia de gente entende o significado de liberal, neo-ortodoxo, fundamentalista, institutas, fornicação, ortodoxia..

    Mais da metade dos presbiterianos que juraram na profissão de fé defender a sã doutrina não sabe absolutamente nada sobre a tal predestinação.

    Tudo é muito prolixo, até o processo de disciplina que é um troço esquisito pacas.

    Ps.:
    William, parabéns, seus texto do blog são demais de bons.

    Fino

  9. Tenho sério problemas com a exposição pública em certas situações.

    Lembrem-se que aos 16 anos a “criança” (para mim é uma criança) não pode ser exposta publicamente, afinal, vai contra o que o Estatuto da Criança e Adolescente diz.

    Se fosse uma pessoa adulta eu não ligaria tanto, afinal, a pessoa tem maior discernimento que a menina, mesmo que acompanhada da mãe.

    Temo sempre que o corpo da igreja faça marketing disso. Ao mesmo tempo é necessário demonstrar o amor publicamente para que ele se irradie no seio da comunidade cristã.

    A questão para mim é de limites!

    Bom texto, Sir Alex!
    W.

  10. Não concordo com o abuso cometido pela primeira igreja e celebro junto o nascimento do bebê, mas óbvio que não dá para aprovar a conduta da moça (se houve consentimento). Tudo bem casar com quem se ama desde que não se saiba quem é o pai que aliás deveria ser preso por pedofilia.

    E os gnósticos? Porque o apóstolo mandou se afastar deles só por causa de suas doutrinas perversas? Porque não teve uma ortodoxia generosa com eles?

    O pastor está até certo, eu faria igual, mas deixaria claro os pontos que estou em desacordo.

  11. Pedofilia, Charles? Duvido mto que o pai da criança seja”maior de idade”. Infelizmente a realidade dos pais e maes aos 16 (ou antes!) é, como o nome diz, real 😦

    Alex, obrigada por compartilhar a história. Me faz amar ainda mais a Graça maravilhosa. E ajuda a aumentar a esperança na igreja-instituição…

  12. pq meu comentario nao ta saindo com meus dados de login?! 😦

  13. Lindo relato.Isso que é pastor.

  14. Alex, no comentário de cima eu estava perguntando ao Charles que deu a entender isso.

  15. Olá, meus queridos!
    Excelente acontecimento, gostei do relato, parabéns Fajardo!

    Agora, escreverei as palavras do Fino, quando ele migrou para a atual igreja, essa do pastor “legal”, rs.

    “Agora eu sou um Pokemon evoluídos!!”.

    E de fato o são, não pokemons, apenas, rs, mas evoluídos, e bastante!

    bj a tds!

  16. Bom dia!
    Charles, não houve omissão nos cuidados com a garota. Houve partilha de sentimentos. Quando o caso chegou para todos o Rev. já havia tomado os cuidados de CUIDAR também da adolescente e de sua família, tão cheios de fundamentos tradicionalíssimos na comunidade.
    Como o Alex contou, está se experimentando junto dos outros adolescentes o acolhimento de quem terá de viver a adolescência com um bebê e também dos adolescentes que trazem suas dúvidas e angústias as suas famílias e a igreja por isto que vivem.
    Estamos falando de um processo… e não de um fim. Não temos todas as respostas. Só há uma nova maneira de viver em comunidade, sem excluir ou colocar em vexame.
    Tenho a felicidade de estar nesta comunidade… desde o seu início (meus pais cederam parte da nossa casa pra que se iniciasse).
    A Deus toda honra e glória… inclusive pelos meus queridos fofoqueiros do bem Fábio e Alex!
    Sarah

  17. Olá Alex.

    Um texto para se refletir muito!
    Parabéns pelo texto, causou uma certa polemica aqui, pelo lado positivo!
    Vale a pena rever alguns conseitos…

    Deus Te Abençoe!

  18. Vi entre os comentários, preocupações sobre um possível afrouxamento e banalização do pecado. A Igreja Batista no Trapiche, em Maceió-AL tem exercitado a “Pedagogia da Graça” há mais de 20 anos e o que vemos lá são pessoas restauradas emocional e espiritualmente, por serem amadas quando mais precisam.
    Deus abençoe a todos!

  19. Muito original o seu blog,e de bom conteúdo(Ricardo Gondim,Ariovaldo Ramos…).Parabéns e Deus o abençoe.

  20. Simplesmente Graça!

  21. Meu nobre escritor e amigo Alex, confesso que gostei do texto porque ilustra duas situações duas situações antagônicas entre si.
    A primeira ilustra o exemplo da ortodoxia despótica, cesariana, tirânica da maioria das igrejas ditas tradicionais, que engolem um camêlo e coam um mosquito, o grande exemplo de Mateus 23. Essa Igrejas tradicionais, centanárias por assim dizer,estão mergulhadas em seu tradicionalismo pedagogicamente ignorante, pois suas pregações esteriotipadas não consegue mudar a mentalidade de seu povo pela Palavra de Deus, se não pela coação da mensagem doutrinária e dogmaticamente duturpada.
    Os membros acatam a mensagem pelo medo, seu conteúdo Bíblico didático se resume em meras repetiçoes de uma maioria guiadas por CEGOS. Pastores ignorantes que não conhecem de TEOLOGIA, que mal tem o ensino médio completo… E QUE SE ACHAM !! O resultado disso não poderia ser diferente da moça que engravidou e foi exposta ao ridúculo em sua própria Igreja.
    Há que se lembrar que, nas Igrejas ORTODOXAS a imposição legalista produz a insurreição, rebeldia dos adolescentes; lembramos que em IGREJAS como essas, a sujeira e a podridão ficam escondida na penumbra de quem as Lidera.
    A punição nessas igrejas é a PEDAGOGIA da repressão ao pecado, porque a prevenção, essa passa longe dos jovens, que na maioria das vezes são tratados com descaso generalizado, omissão e despreparo de quem os dirige.

    No segundo caso, percebo que a conduta aplicada é a resultante da negligência Pedagógica e Teológica da Igreja, uma vez que a exposição da adolescente aconteceu. O que mudou foi a metodologia aplicada. Nesse caso, a ordem dos fatores não altera o produto? O produto final se resume na exposição do adolescente à Igreja, de forma irresponsável ou negligente do pastor, a medida em que, valorizou um ato de fornicação com as consequêcias de uma gravidez indesejada;
    A bordou esse ( PECADO ) em tom declaratório de aprovação. E o pior, o modus operante do Pastor alude a premiação da gravidade da situação em face da Igreja. Isso cria um prescedente para mais fornicações no seio da CONGREGAÇÃO. Logo – logo esse pastor vai premiar os adulteros, os alcólatras, os homossexuais e os drogados.
    Não disse que a adolescente deveria ser apedrejada, mas digo que o exemplo dela ilustra o fracasso moral da IGREJA em que faz parte, porque um Cristão de verdade, que é assistido por sua Igreja, jamais seria premiado pelo pecado publicamente por seu Pastor.
    Esse pastor, reconheceu publicamente sua imcompetência em administrar a classe de jovens de sua Igreja.
    Uma coisa é ter o amor Cristão e amar seus membros, a outra é manter-se subserviente ao pecado da Igreja através de seus membros e dos desdobramentos de sua política covarde de tratar com a problemática da Igreja.

    Grande abraço do seu amigo e admirador,
    Ricardo Rizzo

  22. Alex, meu garoto !!!
    Você é muito inteligente e especial, sabia que esse texto polemizaria o blog, que pessoas com postura ou posicionamentos diferentes abreriam suas bocas, ou afiariam seus dedos a escreverem o que pensam a respeito da gravidêz indesejada de adolescentes nas Igrejas Evangélicas.
    Fico triste quando isso acontece, principalmente quando um erro puxa o outro.
    Fico mais triste quando isso vira moda nas Igrejas; quando adolescentes acham comum ficar grávidas e não casar; acham comum tomar seia na Igreja mas fornicam deliberadamente uns e com outros. Isso é o prelúdio da prostituição, do PECADO na Igreja.
    Algo de errado está acontecendo há muito tempo nas Igrejas.
    Se podemos comemorar a gravidêz indesejada de um adolescente, podemos comemorar a prisão de um recém convertido drogado.
    Poderiamos festejar o divórcio de presbíteros e diáconos na Igreja; poderíamos festejar a descoberta de pedófilos na congregação. Qual é a diferença do pecado? Todos são pecados, e o pecado nos afasta de Deus e produz a morte.
    Partindo desse pressuposto, estaria o pastor comemorando a MORTE antecipada de suas ovelhas? rsrsrsr
    Quando Jesus disse para aquela mulher que seria apedrejada: ” vá e não peques mais”… quiz dizer que, ela estava perdoada do seu pecado, mas que não deveria incorrer novamente no erro, não deveria mais adulterar ou se prostituir.
    Nossos adolescentes ficam uns com os outros desordenadamente, fazem sexo como se fosse chupar pirulitos e isso lhes parece normal porque existe a benevolência maléfica do pecado na IGREJA.

    Quando eu pequei, forniquei com uma moça da Igreja Assembleia de Deus do Belém, minha noiva tinha 17 anos, foi exposta ao ridículo publicamente, assim como eu. Fomos disciplinados po 1 ano. Memo casados, não pudemos entrar em comunhão com a Igreja, até que o período decadencial da punição esgotasse… mas JESUS perdoou aquela mulher e nãso lhe impôs medidas cautelares da liberação do perdão, como fizeram conosco…rsrsrs
    Estou casado com a mesma mulher que forniquei há 16 anos, e com ela tenho 4 filhos.

    Não preciso dizer que, a Igreja que nos puniu produz crisatão tão fanáticos quanto ignorantes, que ao nosso exemplo, o êxodo dos membros daquela Igreja é algo muito comum, porque onde existe a reprimenda existe o fundamentalismo institucionalizado.

    Gostei de seu texto, embora acredito que minha ponderação não agrade a maioria … kkkkkk
    Ricardo Rizzo

  23. Ricardo,

    De longe sua opnião vai agradar a todos mesmo!

    Ao ler seu comentário, me lembrou um personagem da escolinha do Prof Raimundo (que não me lembro o nome), que acertava todas as respostas, mas qdo chegava na resposta final para tirar o 10, dizia uma besteira tão grande que acaba ficando é com zero mesmo.

    Só acho uma pena que sua opnião sobre o texto entre no mérito das pessoas envolvidas (coisa que o fajardo pouco disse) ao invés de discorrer de forma macro sobre essa questão.

    Gostaria de entender como sabe se o Pr. foi negligente sem conhecer os detalhes do que ocorreu, a história da igreja, a cultura das pessoas, a familia da garota..

    Como sabe que ele celebrou a fornicação se vc não sabe absolutamente nada, se houve um bate papo com a garota, com a mãe ou como ele cuida daqueles adolescentes?

    Como sabe se a exposição foi irresponsável se não sabe o impacto que ela gerou ?

    Vc diz saber até o TOM declaratório do discurso dele.

    Seria mais digerível seu comentário se ficasse no tema do texto, do contrário, esse blog vai se encher de pessoas te explicando tudo detalhadamente o que aconteceu para que você tivesse que se retratar sobre seu comentário sobre o Pastor, a garota e a igreja.

    A impressão que deu ao te ler é que vc faz parte dessa igreja e conheçe cada detalhe do aconteceu e que está tão abalado pelo ocorrido que sua opnião saiu do prumo e do plano ideológico, teologico… e outros ógicos.. e foi pro pessoal.

    Se continuar nessa linha o Blog do fajardo vai virar um verdadeiro antro de picuinhas e fofocas.

    De qualquer forma parece-me que vc entendeu pouco do que foi escrito ali, a menos é claro, que vc seja um polemista de primiera linha.

    Fábio Fino

  24. seria bom se nossas igrejas fossem mais como a ‘segunda igreja’, e menos como a ‘primeira’…

  25. Engraçado, eu só li o relato hoje. Mas era pra eu te lido hoje mesmo! Que bela história. Deus abençoe a todos nós.

  26. Pingback: Rennovario » Pedagogia da Graça

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s