40 anos sem Martin Luther King

Os EUA lembram hoje os 40 anos da morte de Martin Luther King Jr. Eu creio que não só os americanos deveriam prestar atenção à data para re-lembrar os atos de King, como também todo o mundo, pois ele foi uma figura que já ultrapassou os limites geográficos da América, ele se tornou um ícone mundial da pregação do evangelho da fraternidade, da igualdade e da justiça.

King fez toda a diferença em seu tempo, lutou pelos direitos civis dos negros americanos utilizando a filosofia de não violência adotada de Mahatma Gandhi. King foi um bem aventurado, segundo o sermão proferido por Jesus, pois ele tinha fome e sede de justiça.

 

O que mais me impressiona é que ele foi um ser humano que nunca fez questão de dizer ou tentar parecer que era um santo, ele tinha sérios problemas pessoais. A Revista Aventuras da Historia do mês de abril  de 2007 trás em uma de suas principais matérias a vida de Martin Luther King Jr. Com o Título “O Lado depressivo e infiel de um grande herói americano”. A Matéria revela que no dia 14 de outubro de 1968 quando King ganhou o premio Nobel da Paz, ele estava sozinho em um quarto de hospital sobre efeitos de tranqüilizantes, seu problema: Depressão. Varias vezes chegou a questionar se sua vida valia a pena, chegou a pedir dezenas de vezes que fosse internado, porque só assim poderia ficar sozinho e descansar a base de pílulas pra dormir. Pastor Batista, Martin Luther King Jr. foi um revolucionário, seu comportamento deprimido não era divulgado e explorado pela mídia da época (diferentemente de hoje).

 

Outro lado que não vinha à tona era seus casos de infidelidade para com a esposa. King passava muitos dias viajando pelo país e sempre se encontrava com amantes. Philip Yancey, em um capítulo dedicado ao líder em seu livro Alma Sobrevivente, diz na página 21.

 

“Para piorar as coisas, as acusações de imoralidade sexual de King refletiam fatos reais, não rumores. O FBI gravou inúmeros episódios nos quartos de hotel em que king se hospedara e, graças à lei de Liberdade de informação, os historiadores podem analisar as transcrições verdadeiras. Ralpy Abernathy revelou que King manteve casos extraconjugais até a véspera de sua morte. Um agente do FBI (Willian Sullivan, que terminou chegando à posição de diretor assistente) enviou a King algumas de suas gravações com um bilhete pedindo que ele cometesse suicídio. “Você esta perdido. Não há outra saída para você. É melhor você dar um fim nisso antes que sua figura fraudulenta, suja e anormal seja revelada a nação. ””

 

Além de ter problemas semelhantes aos de muitos cristãos (incluindo eu), King conseguiu fazer a diferença em um mundo de injustiças e desigualdades sociais.

Em 1986, foi estabelecido um feriado nacional nos EUA para homenagear o líder negro, o chamado Dia de Martin Luther King –sempre na terceira segunda-feira do mês de janeiro, data próxima ao aniversário de King. Este é o único feriado dos EUA que se leva o nome de uma pessoa específica. Em 1993, pela primeira vez, o feriado foi cumprido em todos os Estados do país.

Recomendo a leitura deste artigo do Ricardo Gondim sobre Martin Luther King, mas antes, veja um trecho do último discurso na cidade de Memphis na noite anterior a seu assassinato, retirado também do livro de Yancey.

“Como qualquer pessoa, desejo uma vida longa. A longevidade tem seu lugar. Mas não estou preocupado com isto agora. Quero apenas fazer a vontade de Deus. E ele me permitiu que eu subisse ao monte. Olhei lá de cima e pude contemplar a Terra prometida. Pode ser que eu não entre lá com você, mas quero que você saiba esta noite que, como povo, nós entraremos na Terra Prometida. É por isso que estou feliz esta noite. Não estou preocupado com nada. Não temo homem algum. Meus olhos viram a glória do Senhor que vem.”

Que possamos refletir melhor nesse dia, pois se cada nação hoje tivesse um Martin Luther King, a construção do Reino de Deus na terra teria fortes aliados, pois como diz São Paulo na carta aos Romanos 14:17, um dos principais aspectos do Reino de Deus é a justiça.

By Alex Fajardo

Anúncios

5 Respostas para “40 anos sem Martin Luther King

  1. Alex,

    Muito bom o texto sobre MLKing. A prova que Deus quer nos usar, apesa de nossas falhas e imperfeições.

    Parabéns pelo blog!

  2. Olá, Alex! Graça e paz!

    Não conhecia seu blog, nem menos sabia que o meu fazia parte de sua seleta indicação de blogs. Gostei do que li e vi que o conteúdo é saudável, diferente de uma pá de escritos que encontramos por aí. Estou retribuindo a gentileza, o seu já está lá no meu…rsrsrs

    Forte abraço, e permaneça escrevendo sobre o Evangelho da Graça!

  3. Legal muito Bom, você é Um Grande Jornalista, ou um jornalista Grande.

    Mas escreveu sobre um Grande Batista, homem de Deus e usado por Deus.

    Deus te abençoe.

  4. Eu queria saber si vc pode falar o quê Martin Luther King fez de bom ? …. resumidamente …

  5. Não discernem o Filho do Rei Luther.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s