Arquivo da tag: Livraria Saraiva

Missão Integral – Lançamento de Ricardo Gondim

Ricardo Gondim lança em livro sua dissertação de mestrado: Missão Integral em busca de uma identidade evangélica

No dia 27 de novembro do calendário de 2009, aconteceu o lançamento do livro “Missão Integral – em busca de uma identidade evangélica” (editora Fonte Editorial). A obra segundo me informou seu autor, Ricardo Gondim, é 100% o conteúdo de sua dissertação de mestrado, sem acrescentar ou diminuir um til. O lançamento ocorreu na livraria Saraiva do Morumbi Shopping (mesmo local em que Caio Fabio lançou seu livro Sem Barganhas em dezembro de 2005).

A Obra de Gondim apresenta um processo histórico da chamada Missão Integral, e suas conseqüências para os dias atuais, sua caminhada desde antes do Pacto de Lausanne em 1974, passando pelos teólogos latino-americanos e seus principais nomes da difusão da teologia “pé no chão”. Gondim que participou desta caminhada nas últimas décadas apresenta seu olhar sobre o tema. A Grande tensão do Congresso Mundial de Evangelização de Lausanne (que teve como redator do pacto John Stott) era manejar uma faca de dois gumes, no caso evangelização e ação social. Qual teria que ser a primazia? Para quem quer conhecer a história deste movimento, vale a pena ler o livro. O movimento houve um esvaziamento segundo o autor no início da década de 80. Saiba os motivos que geraram e os debates teológicos e sociais em volta do tema.

O leitor entenderá os motivos porque René Padilha, um dos expoentes do movimento da Missão Integral na América Latina optou por não comparecer ao II Congresso de Evangelização realizado em 1989 em Manila nas Filipinas. Entenderá que as organizações Billy Graham que convocaram e organizaram o Congresso de Lausanne em 1974, que segundo a revista Time foi possivelmente a reunião mais global realizada pelos cristãos por sua amplitude e números e alcance, foram 2.473 “participantes”, cerca de mil observadores de 150 países e 135 denominações protestantes, que foi um Congresso que marcou uma geração, entretanto Gondim denuncia que seu organizador em sua autobiografia publicada originalmente nos Estados unidos em 1997, Billy Graham não cita nem uma vez sequer o Congresso de Lausanne, enquanto gastou vinte e quatro páginas para descrever seu relacionamento com Richard Nixon e seus cafés da manhã na Casa Branca.

No livro o leitor encontrará histórias e opiniões de diversos nomes envolvidos com a Missão Integral na América Latina como René Padilha, Samuel Escobar, Orlando Costas entre outros e ativistas do movimento em solo brasileiro, principalmente nomes da primeira geração pós Lausanne 1974, como Valdir Steuernagel, Robinson Cavalcante, Caio Fabio, Darci Dusileck, Luiz Longuini Neto, Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz, Ziel Machado entre outros.

Além de saber sobre os CLADES – (Congressos Latino-Americanos de Evangelização) e os CBEs (Congressos Brasileiros de Evangelização) CBE I e II, 1983 e 2003 e a FTL (Fraternidade Teológica Latino Americana) e suas importâncias para o movimento na América Latina e as diversas organizações paraeclesiásticas que se engajaram e se comprometeram com a causa de Cristo através da Missão Integral.

Para mim que estou tentando me aprofundar no tema, foi uma sensacional aula de história e opiniões diversas para entender sobre o movimento, aliás, falando em aprofundamento, aguardemos a tese de doutorado de Gondim que promete continuar tratando mais afundo com o tema.

O Livro é dividido em 3 capítulos com diversos sub-temas; Capítulo 1 – Missão Integral e Identidade Evangélica; Capítulo 2 – A Missão Integral, Expectativa e Frustração e por fim o Capítulo 3 – Missão Integral: A difícil tarefa de Equilibrar Evangelização e Responsabilidade Social. A Obra tem 185 páginas e vale a pena ser lida na íntegra, inclusive as mais de 100 notas de rodapé.

Além do lançamento do livro no Morumbi Shopping, Gondim participou de uma manhã de autógrafos de seus livros na rua Conde de Sarzedas no dia 04 de dezembro na livraria Lírio dos Vales onde foi realizada a última foto deste post.

Para finalizar esta matéria, vale ressaltar que o prefácio do livro é escrito pelo orientador de Gondim, o católico Jung Mo Sung, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo.

Livraria Saraiva do Morumbi Shopping foi palco do lançamento da obra

Gondim realiza manhã de autografo na rua Conde de Sarzedas em 4 de dezembro

Fotos e texto: Alex Fajardo

Leia + sobre o assunto:

Leia + sobre lançamentos de outros livros

Max Lucado no Brasil

Sérgio Pavarini sabatina o escritor Max Lucado na livraria Saraiva no shopping Ibirapuera

Jornalista e blogueiro Sérgio Pavarini sabatina o escritor Max Lucado na livraria Saraiva no shopping Ibirapuera

Aconteceu neste dia 20 de julho, na livraria Saraiva do shopping Ibirapuera, o lançamento do livro “Sem medo de ser viver” do escritor e pastor americano Max Lucado. O livro que segundo a editora teve lançamento inicial de 80 mil exemplares, é relativamente pequeno se comparado aos 70 milhões de livros vendidos em todo sua carreira de escritor. Entretanto um número expressivo para um lançamento inicial.

Para o evento a editora a Thomas Nelson  contou com a presença do blogueiro Sérgio Pavarini que bateu um papo descontraído de cerca de 40 minutos com o escritor. Como no início da década de 80 Lucado morou no Brasil / RJ,  o papo aconteceu todo em português.  

O escritor se mostrou muito simpático atendendo a todos e respondendo a perguntas de Pavarini, mesmo as perguntas menos esperadas de como por exemplo: “O Senhor vendeu 70 milhões de livros, supomos que ganhe 2 dólares por cada livro vendido, como é ser igual a Jesus e imitar os seus passos, tendo na conta bancária 140 milhões?”. Lucado respondeu que mantém e apóia diversas Ong’s e assistências realizadas pela diaconia de sua igreja que auxilia projetos na Ásia e África.

Outra pergunta desconcertante foi sobre quem estaria mais próximo do evangelho, George W. Bush ou Barack Obama ? A pergunta se mostra em saia justa porque Max Lucado foi um dos pastores americanos que na época da invasão dos EUA ao Iraque, apoiou as atitudes de Bush.

No Brasil essas atitudes foram conhecidas por lúcidos e explicativos artigos escritos por Ricardo Gondim que na época escreveu: “Os pastores que nas vésperas da invasão legitimaram, na CNN, os atos do sinistro Bush têm suas mãos sujas de sangue inocente. Nunca os esquecerei: Max Lucado, John McArthur e Bob Jones”

Em outro artigo, Gondim diz que: “Revoltei-me com o Max Lucado, um pusilânime. Sua falta de argumentos e seus raciocínios simplistas mostram o perigo do dinheiro e da fama. Lucado é um dos autores de maior renome no mundo cristão; querido na América por escrever com um estilo simples. Quando defendeu a guerra mostrou que jamais se posicionaria contra a comunidade evangélica que votou em Bush e, fascinada, acredita que ele é o ungido de Deus para proteger o mundo. Max Lucado afirmou ontem, para o mundo inteiro ouvir, que confia no presidente porque ele é cristão e porque ora para tomar decisões. Quanto simplismo! Se assim fosse, quando Ronald Reagan patrocinou bandidos que lutavam na Nicarágua (os Contras), seria também legitimado pelo senhor Lucado. O general Oliver North, assessor que financiava os terroristas, era membro de uma igreja pentecostal, orava e conversava com o seu presidente antes de qualquer decisão.”

Os artigos podem ser conferidos na integra aqui e aqui.

Com a pergunta de Pavarini, Lucado respondeu que apenas Deus conhece o coração dos homens dirigentes da nação, entretanto sabe que Bush é uma pessoa de muita fé.

O evento foi transmitido ao vivo (com apoio tecnológico de meu primo Cleoci)onde cerca de 60 pessoas acompanharam via streaming, divulgado apenas via Twitter minutos antes de iniciar o bate papo. O vídeo do evento pode ser conferido aqui, os primeiros minutos foram de acertos, mas depois consegui colocar o notebook na mesa na frente do escritor e assim podendo ser melhor visto e ouvido.

No Pavablog  neste post aqui, você amigo leitor pode conferir mais fotos que realizei e alguns dados a mais sobre o evento.

Pergunta: "Como é ser igual a Jesus tendo 140 milhões de dólares na conta?"

Pergunta: "Como é ser igual a Jesus tendo 140 milhões de dólares na conta?"

Transmissão ao vivo via streaming possibilitou que cerca de 60 pessoas assistissem o evento via web

Transmissão ao vivo via streaming e rápida divulgação via Twitter possibilitou que cerca de 60 pessoas assistissem o evento via web

Max Lucado autografou e atendeu a todos: cerca de 80 pessoas na fila aguardaram o momento e aproveitar e fazer um foto junto com o escritor

Max Lucado autografou e atendeu a todos: cerca de 80 pessoas na fila aguardaram o momento e aproveitaram para fazer uma foto junto com o escritor